Comes e Bebes, Saber Viver, Viagens

Tezturas dos fins de semana (prolongados) #1

17 Mai , 2015   Gallery

Fim de semana, quem não gosta destas três palavras mágicas, não diz a verdade. É o nosso momento, de escape, de descanso, de pôr a vida em ordem ou de passeio, para aproveitar e fazer aquela escapadinha que há tanto merecemos. E é disso que vos falo hoje, de um daqueles fins de semana, que se antecipou e prolongou, às vezes, um dia a mais, faz tanta diferença, que é o suficiente para revitalizarmos o corpo e a mente.

tezturas do fim de semana

 

E lá fomos nós, eu e o meu “mais que tudo e um pouco mais”, a caminho dos Algarves! Com destino a um sítio pelo qual me tenho vindo a apaixonar: Lagos.
Temos um gosto particular em evitar a auto-estrada, não só pela carteira, mas também porque descer a Costa Vicentina é sempre um agradável passeio, e era disso que se tratava, ir rumo ao sul, sem pressa, nem hora marcada.

//DESTINO: ALGARVE

praia-do-camilo

//COSTA ALENTEJANA

Primeira paragem foi para um reconfortante jantar, entre Alcácer e a Comporta, no peculiar restaurante A Escola. Um atendimento casual e muito simpático, típico das gentes do Alentejo (modéstia à parte), onde a comida também tradicional da região, não deixa dúvidas: é do melhor! Fica uma foto do sítio. Para saberem como foi o jantar, espreitem aqui.

 

restaurante a escola

 

E lá continuámos nós, a descer, paragem quase sempre obrigatória é Porto Côvo, ou a Ilha do Pessegueiro, tanto a vila como as praias desta zona são muito agradáveis. Mas como já era noite cerrada seguimos o nosso caminho. Deixo-vos esta foto do regresso.

//ILHA DO PESSEGUEIRO

ilha do pessegueiro

 

//LAGOS

No outro dia, ainda de manhã cedo, a Praia do Camilo esperava por nós, com a sua água azul, oh praia linda! Digna de uma Riviera Francesa.

 

praia do camilo

 

Praia do Camilo

 

//MONCHIQUE

Depois da manhã de praia, o almoço foi na Serra, ou a caminho, entre a localidade de Monchique e a Fóia, existem uma quantidade de restaurantes à beira da estrada, que nos convidam a entrar em busca do que há de novo. E realmente no Luar da Fóia, que prima por uma vista de tirar o fôlego, descobrimos mais um sítio onde queremos voltar. Ficam já a saber que, encerra à segunda-feira e costuma estar muito cheio, por isso convém reservar. Tem uma das vistas mais bonitas dos arredores, (privilegiada na esplanada), onde a paisagem nos deslumbra desde o Carvoeiro à Ponta da Piedade, toda a baía de Portimão, Alvor e Lagos.
Mas foquemo-nos no outro motivo deste restaurante estar à pinha. A comidinha, da boa! Grande variedade de grelhados, carne ou peixe, cada um mais apetitoso do que o outro, e excelentes opções de comida de tacho, estufados, ensopados, e mais qualquer coisa.

 

image

 

lartos de porco preto com migas de espargos

 

Mais uma vez, dificuldade na escolha do prato, a  jovem muito simpática que nos atendeu, lá nos indicou as especialidades da casa, e indecisos entre um polvo com batata doce e um javali com ameixas e castanhas, optamos pelo javali. Maravilhoso! O molho bem apurado, e as batatinhas fritas caseiras combinavam lindamente.
Houve alguém que sentiu uma necessidade extrema de experimentar os grelhados, e como o jantar ía ser marisco e polvo, lá mandámos vir uns lagartos de porco preto com migas de espargos, que estavam mesmo no ponto. Um excelente sítio, a repetir, sem dúvida.

 

//ALVOR
O passeio continuou, e à tarde fomos até ao Alvor, mais concretamente à zona da marina, banhada pela Ria do mesmo nome. Também aqui a paisagem nos brindou com umas bonitas cores, e um sol que nos deixou leves, levezinhos.

 

ria de alvor

 

Andámos a explorar a zona, onde já não ía desde adolescente, desde a idade em que férias era com os país, ou com as amigas (que estavam com os país). E descobrimos uma área que foi alvo de reabilitação urbana, a Marina, com uns barzinhos (demasiado caros) e restaurantes,  que podem ser uma boa alternativa às movimentadas noites de Lagos, Portimão ou Praia da Rocha, se bem que o Algarve no verão é sempre meio caótico, para quem prefere mais sossego.
E lá terminámos o dia com um mojito, a celebrar este pôr-do-sol.
mojito-sunset

 

//LAGOS

O jantar foi homemade, mas igualmente delicioso face ao resto do dia, fica aqui um cheirinho. Ah! E houve muito romance no ar, pois aproveitamos o dia dos Namorados para fazer esta escapadinha.

 

 

//De LAGOS a SAGRES

O dia começou cedo, tomámos o pequeno-almoço na Praia de São Roque e partimos em direcção a Sagres. O nosso objectivo foi explorar as praias, e os recantos junto ao mar, entre trilhos e estradas de terra batida (ou nem por isso), lugares secretos, sítios perdidos e outros já bem familiares.

 

//CABANAS VELHAS
Cabanas Velhas


 

//FORTE DE ALMÁDENA

Entre as localidades de Salema e Burgau fica o Forte de São Luís de Almádena. Imponente ruína, que conserva grande parte das suas fundações, e que fica mesmo em cima do mar. Surpreendente a resistência desta construção militar, datada de 1632. Reza a história que foi mandada edificar por D. Luís de Sousa, (Conde do Prado) que tinha a posição de Governador e Capitão-General do Reino do Algarve, com intuito de proteger a almadrava (termo árabe para a armação de pesca do atum), dos ataques de corsários e piratas. Danificada em 1755 pelo sismo, foi abandonada em 1849. Os vestígios do antigo complexo incluem dois meios-baluartes, um fosso, uma porta de armas, aquartelamentos, uma capela dedicada a São Luís, e duas baterias, uma baixa e outra alta. Surpreendente!
FORTALEZA DE ALMADENA

 

Almadena

 

//BOCA DO RIO

CAM02077~2

 

//PRAIA DO MARTINHAL

Praia do Martinhal

//SAGRES

sagres

 

//CABO DE SÃO VICENTE

No ponto mais a sudoeste da Europa (e de Portugal), assistimos ao fantástico pôr do sol, com o Farol a vigiar-nos de perto, numa paisagem única que nos cativa. Terminámos o dia a comer percebes em Vila do Bispo e regressámos a Lagos para o descanso merecido.

cabo-de-sao-vicente

 

//SILVES

No último dia, fomos mais para o interior, logo ali acima, Silves. Uma localidade ainda encantada, de traçado árabe, que reflecte bem os vestígios que esse povo deixou na nossa cultura, ainda se respira o espírito mourisco, por todo o lado. O castelo é impactante, mas além desse cartão de visita, a cidade está cheia de recantos e apontamentos, que valem a pena uma visita, e de preferência demorada. Na paisagem urbana, no meio das casinhas brancas, destacam-se as várias construções em grés de Silves, um arenito vermelho que é muito característico desta zona.

 

gres-de-silves

 

História, cultura, paisagem e boa comida. Depois de vaguearmos pelas ruas e ruelas do centro histórico de Silves, já estávamos a ser pressionados pelo relógio, para almoçar, porque às 14:20 no Portugal interior já nos pode dar direito a não almoçar decentemente.
Como era segunda-feira, muitos dos restaurantes estavam fechados, como foi o caso do Café do Inglês, que já nos tinham recomendado. Sem grandes alternativas, fomos à Marisqueira Casa Velha. É demasiado turístico para o meu gosto, mas também não foi uma desilusão. Comemos uns percebes de entrada, um arroz de lavagante (um dos pratos do dia) e bebemos um vinho verde da casa. Ficámos satisfeitos, a dose de arroz para duas pessoas era generosa e estava tudo fresco e muito saboroso.

percebes

arroz de lavangante

 

E a visita prosseguiu. Com direito a espreitar o que se esconde no interior de um dos edifícios mais imponentes da encosta, a Câmara de Silves, que tem um lindíssimo átrio central, iluminado por uma clarabóia de inspiração mudéjar/mourisca. A arquitectura exterior é estilo neo-clássico.

cm-silves

 

O outro destaque que se segue, é a Igreja da Misericórdia de Silves. Numa arquitectura simples, sobressai a janela Manuelina orientada para a Sé Catedral. No seu interior, as atenções estão viradas para as pinturas das “7 obras da misericórdia”, na imagem está a que se encontra no altar-mor, uma tela da Nossa Senhora da Visitação, do séc. XVIII.
cm-silves
Logo ao lado fica também a Sé Catedral de Silves, de arquitectura gótica, um ícone na cidade, cujo interior não tivemos a sorte de visitar, pois estava fechada.
E há muito mais a visitar em Silves, aconselho-vos a irem ao Posto de Turismo, onde vos facultam toda a informação para possam decidir o que visitar, além das sugestões Tezturas.

cm-silves
//LAGOS

E mais uma vez Lagos, para pernoitar no nosso refúgio que tanto adoramos.Passeámos ao fim da tarde pela marginal, onde se encontra esta réplica da Caravela Boa Esperança.

 

réplica-caravela-boa-esperança

 

Foram estas as imensas “tezturas” deste primeiro fim de semana prolongaaaaado, que partilho convosco. Seja de Inverno ou Verão, com frio ou calor, o Algarve, (tal como outras) é uma excelente região seja para fazer praia, comer, passear, ou conhecer mais um pouco deste nosso Portugal à beira mar plantado. Qualquer dúvida ou sugestão sobre este artigo, podem sempre enviá-la através do nosso facebook ou [email protected].

 

camilo

 

Aproveitem a vida e bom fim de semana!

Cátia Marcelino

Comments

comments

, , , , , , ,